Vitrine

R$26.00

Esquerdismo – a doença infantil do comunismo, V. I. Lenin

Esquerdismo: doença infantil do comunismo, escrito e publicado em 1920, foi o último livro de V. I. Lenin. A Rússia soviética passava por uma dura guerra civil (1918-1920) levada a cabo pelas forças burguesas e reacionárias – internas e estrangeiras – derrotadas em 1917. No movimento revolucionário internacional, estavam consolidados a falência da Segunda Internacional e o triunfo da estratégia e tática bolchevique na Rússia. E também se viviam as consequências imediatas do fim da Primeira Guerra Mundial, num clima de destruição e reconstrução. Em 1919, Lenin propõe como tática para se fortalecer o movimento revolucionário – e a própria Revolução Russa – a criação da Terceira Internacional, que ficaria conhecida como a Internacional...

comprar
R$30.00

A Origem da família, da propriedade privada e do Estado, de Friedrich Engels

Logo no Prefácio à 4ª edição deste livro [1891], Engels afirma que “o descobrimento da primitiva gens de direito materno como etapa anterior à gens de direito paterno dos povos civilizados, tem, para a história primitiva, a mesma importância que a teoria da evolução de Darwin para a biologia e a teria da mais-valia, enunciada por Marx, para a economia política“. A passagem revela sua rica filiação teórica e seu compromisso com a construção de uma rigorosa síntese dialética desde a origem da família, da propriedade privada e do...

comprar
R$167.00

Dicionário gramsciano (1926-1937), Guido Liguori e Pasquale Voza – capa dura

A Boitempo Editorial lança Dicionário gramsciano (1926-1937). Escrito por estudiosas e estudiosos de nacionalidades, culturas e áreas diversas e organizado por Guido Liguori e Pasquale Voza, a obra reconstrói o sentido das palavras e dos conceitos presentes nos Cadernos do cárcere e nas Cartas do cárcere. São mais de 600 verbetes que visam divulgar com precisão o pensamento de um dos maiores teóricos marxistas da modernidade....

comprar
R$34.90

A resistência, de Julián Fuks

“Meu irmão é adotado, mas não posso e não quero dizer que meu irmão é adotado.”, escreve, logo na primeira linha, Sebastián, narrador deste romance. Como em diversas obras que tematizam a Guerra Suja — o regime de terror inaugurado em 1976 na Argentina —, A resistência envereda pela memória pessoal e nacional. Sebastién é o filho mais novo, e seu irmão adotado, o primogênito de um casal de psicanalistas argentinos que logo buscarão exílio no Brasil. Os pais conhecem bem as teorias sobre filhos adotados e biológicos (Winnicott, em especial), mas a vida é diferente da bibliografia especializada. Cabe então ao narrador o exame desse passado violento e a reescritura do enredo...

comprar
R$52.00

As contradições do lulismo – a que ponto chegamos?, André Singer e Isabel Loureiro

Desdobrando as análises de André Singer sobre o “lulismo”, o livro busca incorporar uma avaliação sobre o “ensaio desenvolvimentista” tentado pelo governo Dilma no marco do pós crise internacional de 2008 e oferecer uma interpretação original sobre o saldo do percurso lulista desde a vitória do PT nas eleições presidenciais de 2002 no contexto mais amplo da experiência modernizadora...

comprar
R$125.00

Dicionário gramsciano (1926-1937), Guido Liguori e Pasquale Voza – capa mole

A Boitempo Editorial lança Dicionário gramsciano (1926-1937). Escrito por estudiosas e estudiosos de nacionalidades, culturas e áreas diversas e organizado por Guido Liguori e Pasquale Voza, a obra reconstrói o sentido das palavras e dos conceitos presentes nos Cadernos do cárcere e nas Cartas do cárcere. São mais de 600 verbetes que visam divulgar com precisão o pensamento de um dos maiores teóricos marxistas da...

comprar
R$29.00

Os despossuídos: debates sobre a lei referente ao furto de madeira, de Karl Marx

A obra documenta a resposta intelectual de Marx a uma das primeiras experiências políticas decisivas de sua trajetória. Nas palavras dele, o conflito econômico e legal na situação da coleta de madeira realizada pelos pobres da província do Reno forneceu a ocasião, “pela primeira vez, de tratar de questões materiais”. Imbuído da noção de que o primeiro roubo se dá com a primeira apropriação privada, Marx, à época um jovem de 24 anos, recém-doutorado em filosofia na Universidade de Jena, começa a articular aqui de forma embrionária expressões como ‘valor’ e ‘mais-valor’, assim como o problema da transformação da natureza, da vida e do trabalho em...

comprar
R$22.00

Uma Epopeia Brasileira – a Coluna Prestes, Anita Leocadia Prestes

Episódio mais importante da saga dos “tenentes”, a Coluna Prestes marcou a década de 1920. Inspirados nos ideais liberais de “representação e justiça”, os “tenentes” batiam-se pelo voto secreto e pela moralização dos costumes políticos, corrompidos pelo domínio oligárquico em vigor durante a República Velha. A Coluna Prestes – o momento culminante  do tenetismo – reuniu um exército guerrilheiro de aproximadamente 1,5 mil homens e mulheres, comandados por uma dúzia de oficiais do Exército e da Força Pública de São Paulo, entre os quais se destacava Luiz Carlos Prestes. A Coluna percorreu 25 mil quilômetros através de 13 Estados do Brasil, derrotando 18 generais governistas, sem jamais ter sido desbaratada, apesar do enorme poderio bélico mobilizado contra...

comprar
R$30.00

Luiz Carlos Prestes – o combate por um partido revolucionário (1958-1990), Anita Leocadia Prestes

Dando prosseguimento às pesquisas que vem empreendendo sobre o papel de Luiz Carlos Prestes na elaboração e na aplicação das políticas do PCB em diferentes momentos de sua trajetória, a professora Anita Leocadia Prestes apresenta, neste livro, os resultados da investigação histórica da atuação política de Prestes, a partir da aprovação da Declaração de Março de 1958, pelo Comitê Central do PCB, até o seu falecimento em 1990. O leitor poderá acompanhar as vicissitudes enfrentadas pelo PCB, a partir da superação em sua direção dos reflexos da crise desencadeada pela denúncia do chamado “stalinismo” no XX Congresso do Partido Comunista da União Soviética, crise que abalou o movimento comunista internacional nos anos 1956/1957. Com...

comprar
R$36.00

O Comunista Que Não Deixou Rastros, Evandro Rodrigues de Brito

Letelba Rodrigues de Britto foi um advogado com notável atuação no foro do Rio de Janeiro durante os anos 1950-70. Comunista, tornou-se ativo participante da vida política do país na condição de advogado da direção do PCB. Destacou-se como ativista do Movimento pela Paz, no seio do qual estendeu sua ação ao plano internacional. Além de defender o próprio Partido da perseguição política e judicial de que era alvo, foi advogado em especial de Luis Carlos Prestes, mas defendeu também Marighela e outros destacados dirigentes comunistas, dos quais tornou-se amigo. Tornou-se amigo também de Jorge Amado, Portinari e outros personagens que marcaram a vida intelectual e artística do país na época.   Além de...

comprar
R$44.90

Calendário Mafalda

Calendário ilustrado de parede. Com poster central e Cartela de adesivos.

comprar
R$44.90

Calendário Antiprincesas

Calendário ilustrado de parede. Com poster central e Cartela de adesivos.

comprar
R$27.00

Antiprincesas: Frida Kahlo

Decidimos nos aventurar e conhecer um pouco sobre grandes mulheres e homens da nossa história. E começamos por uma das muitas mulheres que não se conformaram em fazer o que esperavam delas. Por isto Frida Kahlo é nossa primeira antiprincesa (ou princesa asteca, talvez): uma mulher que mostrou o corpo embora fosse manca, que pintou em uma tela os momentos mais tristes e mais felizes de sua vida, que, apesar de todos os seus sofrimentos físicos, procurou a arte, a alegria e lutou pelo bem do mundo não só para ela, mas também para muitas outras pessoas… Para menin@s de 4 a 100...

comprar
R$27.00

Antiprincesas: Clarisse Lispector

Decidimos nos aventurar e conhecer um pouco sobre grandes mulheres e homens da nossa história. E começamos por uma das muitas mulheres que não se conformaram em fazer o que esperavam delas. Clarice Lispector, uma antiescritora popular do brasil, que rompeu as regras literárias e abandonou uma vida de princesa para voltar a sua terra. Escrevia contos, novelas e crônicas enquantos seus filhos brincavam ao seu redor, tinha um cachorro louco que comia...

comprar
R$27.00

Antiprincesas: Violeta Parra

Decidimos nos aventurar e conhecer um pouco sobre grandes mulheres e homens da nossa história. E começamos por uma das muitas mulheres que não se conformaram em fazer o que esperavam delas. Saímos atrás dos passos de Violeta Parra. Uma caminhante que foi procurar canções nos lugares mais distantes do Chile para que não se perdessem com o passar dos anos. E embarcamos, como em uma máquina do tempo, para viver a aventura de ouvir histórias de avôs e avós, e conhecer a vida de uma artista que sentiu seu povo muito perto do...

comprar

Marx e Engels como Historiadores da Literatura – György Lukács

Marx e Engels se ocuparam a fundo dos problemas da arte e da literatura, mas não chegaram a publicar escritos abordando o tema de maneira sistemática. Nesta obra, o filósofo húngaro György Lukács realiza um trabalho magistral de destrinchar e examinar o tratamento que os fundadores do marxismo dedicaram ao tema da estética. Referência fundamental para pensar o imbricamento entre estética e política, os escritos reunidos em Marx e Engels como historiadores da literatura revelam a percepção inaugural que o pensador húngaro tem da estética marxista. Ao se debruçar sobre as análises que Marx, Engels e Lenin fazem da literatura e da arte, o livro debate o papel do artista e da estética na sociedade iluminando...

comprar
R$38.00

Afinidades Revolucionárias – Olivier Besancenot, Michael Löwy

Afinidades revolucionárias Nossas estrelas vermelhas e negras. Por uma solidariedade entre marxistas e libertários Casos de confrontos entre marxistas e anarquistas são abundantes. Eventualmente, resgatam-se histórias de colaboração e convergência. Besancenot e Löwy vão além: querem, sob o signo da I Internacional, salientar a solidariedade histórica entre militantes anticapitalistas de todas as vertentes. Descrevendo a trajetória dos movimentos sociais da Comuna de Paris aos nossos dias, discutem ecossocialismo, planificação, federalismo, democracia direta e a relação sindicato/partido. Trata-se de uma obra sensível, entremeada pela esperança de que o futuro seja construído com cores vermelhas e...

comprar
R$42.00

A Escravidão Reabilitada, Jacob Gorender

Nesta aguardada reedição, o autor responde às críticas dos setores conservadores à sua obra anterior, O escravismo colonial, dos anos 1970, impulsionados pela crescente ofensiva neoliberal dos anos 1990. O revisionismo histórico requentou a antiga tese de um suposto escravismo brasileiro patriarcal e benigno, com raízes em Gilberto Freyre, para justificar a existência de dominadores de ontem e de hoje. Neste livro, ele demonstra a debilidade histórica e teórica dessas análises que empreendiam verdadeira suavização do escravismo brasileiro. Esta obra é de extrema atualidade tanto para a batalha das ideias no campo da historiografia e da teoria da história quanto para compreender o passado escravista brasileiro e suas permanências. A reedição de A escravidão...

comprar
R$48.00

O Escravismo Colonial, Jacob Gorender

Consagrada obra dos anos 1970 sobre a exploração do trabalhador escravizado na economia colonial, base para a formação da sociedade brasileira, que marcou a historiografia brasileira, ressurge revigorada com o prefácio de Mário Maestri, apresentação da 6ª edição por Flávio Jorge Rodrigues da Silva e apresentação do autor por Alípio Freire. Jacob Gorender (1922-2013) é considerado, atualmente, consagrado intérprete da formação social brasileira, cujo enfoque é a conjunção da economia política, da ciência histórica e da sociologia, motivado pela necessidade de compreender as raízes históricas do padrão de dominação de classe e o surgimento da sociedade e produção capitalista brasileiro por sua intensa participação nas lutas sociais e políticas. Este livro é leitura obrigatória para...

comprar
R$54.00

Mulheres, Raça e Classe, Angela Davis

Mulheres, raça e classe, de Angela Davis, é uma obra fundamental para se entender as nuances das opressões. Começar o livro tratando da escravidão e de seus efeitos, da forma pela qual a mulher negra foi desumanizada, nos dá a dimensão da impossibilidade de se pensar um projeto de nação que desconsidere a centralidade da questão racial, já que as sociedades escravocratas foram fundadas no racismo. Além disso, a autora mostra a necessidade da não hierarquização das opressões, ou seja, o quanto é preciso considerar a intersecção de raça, classe e gênero para possibilitar um novo modelo de sociedade. Davis apresenta o debate sobre o abolicionismo penal como imprescindível para o enfrentamento do racismo...

comprar